Velhos Ossos Que Choram ou Riem



Na frente uma água verde e abaixo da água uma ponta de areia de lama nova
Ao lado os horizontes tortuosos da velha ponte das salinas da juventude pagã
Do outro lado o medo da ilha do meio instalada entre faróis que não se acendem.
Acima, um finólio cíclico de luz de lilith embaçando este poema de lágrima antiga.
Mesmo com Teodoro denunciando os abalos da Ilha - Yes nós temos maremotos!!!
Deuses de pedra e de aço fazem a ponte entre os buracos de areia abaixo da Baía
Os mortos ouvem o futuro chegando: Brrrr, catracas de titânio furam a lama velha
Meu deus! o que dirão os ossos dos mortos? o que dirão os mistérios da Ilha?
A ponte liga os sonhos entre os mundos - Ah! Canal de Suez - voce mudou o mundo!
A nova ilha de pedra terá mistérios? seremos os incréus da Vila de Vera Cruz?
Creio nos homens e mulheres que comeram seres como se fossem a própria força
Fica o sorriso ladino do que não sabemos o que será dos ossos que choram...ou riem...

Sergio São Bernardo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SOBRE COTAS

LIVRO “Xangô e Thémis - Estudos sobre filosofia, direito e racismo”

Marcio Alexandre Gualberto, liderança religiosa carioca, apóia Sérgio São Bernardo